Procprint (11) 2649-1003 - Impressão de Dados Variáveis e Auto-Envelopamento: Holerite Lacrado, Boleto Bancário, Informes de Rendimentos, Extrato Serrilhado, Cartas Envelopadas, Demonstrativo de Pagamento e/ou Recolhimento, etc. Ligue agora para ProcPrint e conheça ainda mais nossa empresa e nosso Biro de Impressão de  Holerit Envelopado, livreto "booklet", entre outros dados variáveis...  
Impressão de Dados Variáveis e Auto-Envelopamento Holerites - Carnês - Boletos - Extratos - Guias - Cartas - Informativos

Acesso à Extranet da Procprint, para envio dos arquivos textos dos holeriths, recibos de férias, Informes de Rendimentos, etc...
Empresa
Quem Somos
Localização
Confidencialidade
Tipo de Clientes
 
Gráfica Digital
Aviso de Férias
Cartão de Ponto
Holerite de Pagamento
Informe de Rendimentos
Carta Senha
Guias, Boletos
Carnês para Pagamentos
 
Tecnologia
Modo de Transmissão
Equipamentos
 
Logística
Manuseio e Postagem
Rastreamento
 
Clique aqui para rastrear a entrega dos seus Contra-Cheques : holerites, recibos de férias, informes, etc...
 
 

Clique aqui e veja um vídeo do processo de auto-envelopamento...

Cartão de Ponto

 

Não cobramos desenvolvimento, basta o envio dos dados através de um arquivo texto no lay-out que seu sistema puder gerar.

Em um único documento é possível imprimir o cartão de ponto do colaborador da sua empresa juntamente com o demostrativo de pagamento (holerite), hava visto, uma exigência das T.R.T.s - Tribunal Regional do Trabalho.

Leia esse artigo:

TRT-SP: cartão de ponto sem assinatura é válido

Para os juízes da 2ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT-SP), não é necessário que o cartão de ponto esteja assinado para ter validade. Com base neste entendimento, a turma negou pedido de horas extras a uma reclamante que questionava o controle de jornada de trabalho efetuado por cartões de ponto sem a sua assinatura.

Uma ex-empregada de um bar em Guarulhos ingressou com ação na 2ª Vara do Trabalho de Guarulhos (SP) pedindo o pagamento de horas extras alegando que sua jornada de trabalho era superior às 8 horas diárias previstas no contrato de trabalho. A vara entendeu que a reclamante não conseguiu provar a afirmação e negou o pedido. A ex-empregada recorreu da sentença ao TRT-SP rebatendo a validade de cartões de ponto sem a sua assinatura.

De acordo com o Juiz Sérgio Pinto Martins, relator do Recurso Ordinário, "a lei não exige que os cartões de ponto estejam assinados para ter validade. Não é condição para validade do ato jurídico. Assim, são válidos, mesmo não assinados".

Para o juiz relator, a prova da jornada de trabalho é do autor da ação, nos termos do artigo 818 da CLT por se tratar de fato constitutivo do seu direito (art. 333, I, do CPC). "Não basta serem feitas meras alegações", explicou.

"O ordinário se presume e o extraordinário deve ser provado. O normal é trabalhar 8 horas por dia. O anormal, prestar serviços em horas extras, deve ser provado pelo empregado", concluiu o Juiz Pinto Martins.

A 2ª Turma acompanhou o voto do relator por unanimidade e negou o pagamento de horas extras à reclamante. RO 02355.2000.312.02.00-5

08 de outubro de 2007 » extraído do site www.trt02.gov.br

Comentário:

Não é obrigatório o colaborador assinar o cartão de ponto como se l ê nos exemplos do TRT – SP acima porem é necessário ter "cartões de pontos" impressos.

Se possivel exija que o colaborador assine seu catão de ponto. Assim pode-se evitar futuros passivos trabalhistas

PROCPRINT EMPRESA DE TECNOLOGIA COM RECURSOS GRÁFICOS
Trabalhe sua imagem inovadora e ganhe tempo para aprimorar o foco do seu negócio !

 

Clique aqui e solicite um orçamento...
Guia Sindical, Taxa Negocial, Demonstrativo de Recolhimento, Boleto Bancário on-line, e muito mais facilidades aos seus clientes...
Disponibilize seus
documentos na internet...